Conselho para a Avaliação e Qualidade

O Conselho para a Avaliação e Qualidade (CPAQ) é o órgão responsável pelo estabelecimento dos mecanismos de autoavaliação e pela avaliação da política de qualidade da ESHTE (artigo 61.º dos Estatutos da ESHTE).

É composto por 14 membros representantes da comunidade académica. 

 

Composição

 

A composição do CPAQ é a seguinte:
  1. Raúl Manuel das Roucas Filipe (Presidente da ESHTE)
  2. Mário Alberto das Neves Assis Ferreira (Presidente do Conselho Geral)
  3. Maria de Lurdes Santana Calisto (Presidente do Conselho Técnico-Científico)
  4. João António dos Reis (Presidente do Conselho Pedagógico)
  5. Catarina Rosa Nunes (Diretora do curso de Direção e Gestão Hoteleira)
  6. João António dos Reis (Diretor do curso de Gestão Turística)
  7. Maria Cristina de Carvalho dos Anjos (Diretora do curso de Informação Turística)
  8. Nelson Ferreira Félix (Diretor do curso de Produção Alimentar em Restauração)
  9. Mário Dinis Serrazina Mendes Silva (Diretor do curso de Gestão do Lazer e Animação Turística)
  10. Vítor Manuel Pereira de Andrade (Administrador)
  11. A designar (representante dos alunos no Conselho Geral)
  12. Maria da Conceição Machado Neves Rodrigues Ferreira (representante do pessoal não docente no Conselho Geral)
  13. António Manuel Henrique Fernandes (responsável pelo Gabinete da Qualidade e Métodos)
  14. Rui Viera de Castro Sousa (Presidente da Associação de Estudantes)

 

Presidente e Secretário

Presidente
António Manuel Henrique Fernandes

Secretário
Ana Filipa de Caldas Passos de Oliveira

 

Atas

Atas 2017

Atas 2015

Atas 2014

Atas 2013

Atas 2012

Atas 2011

 

Documentos

Estrutura Comum de Avaliação (Common Assessement Framework  CAF)

Documentos 2017

Documentos 2015/2016

Documentos 2012

Documentos 2011

 

Política de Qualidade

A Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril é uma instituição com 20 anos de existência que experimentou um acréscimo de atividade notável no último decénio. Essa dinâmica traduziu-se não só num aumento expressivo dos alunos, do pessoal docente e não docente, mas também na maior complexidade de procedimentos e de redes relacionais de informação própria de uma instituição em contínuo crescimento quantitativo e qualitativo.

Concomitantemente, o ambiente progressivamente competitivo em que as instituições de ensino superior se inserem impõe uma atitude proactiva no sentido de maximizar e garantir níveis de qualidade dos serviços prestados suscetíveis de, conjuntamente com o fator inovação, produzirem patamares decisivos de diferenciação e de posicionamento.

Assim, seja no quadro do cumprimento dos objetivos estratégicos definidos pela Escola em matéria de competitividade através da qualidade, seja no domínio das respostas aos imperativos definidos pela tutela na área da qualidade (accountability e melhoria contínua), impõe-se, sem mais delongas, estruturar, parametrizar e concretizar um sistema integrado e transversal de garantia e de gestão da qualidade na ESHTE.

Trata-se de um processo moroso e oneroso que implicará um esforço de toda a comunidade escolar já que, porque implicando alterações significativas no âmbito do ora praticado e do ora estabelecido, só será coroado de êxito num quadro de cooperação, diálogo e aceitação social estabelecido dentro de uma plataforma global de abertura à mudança no domínio da cultura institucional.

Há, pois, que criar um espaço de informação e de encruzilhada específico ao tema da qualidade e das políticas de qualidade na ESHTE suscetível de, desde já, divulgar informação importante nesta matéria e, em acréscimo, recolher os contributos que a comunidade escolar entenda como pertinentes e adequados (presidente@eshte.pt).

Insere-se, agora, um conjunto de importantes documentos-base. No futuro, outros se seguirão, certamente mais específicos à nossa Escola.
A participação de todas e de todos representará um fator crítico de sucesso.
 
Documentos-base
 
Apresentação