Levantamento do Património Gastronómico e Receituário do Concelho de Cascais

A ESHTE e a Câmara Municipal de Cascais estão a desenvolver um Levantamento do Património Gastronómico e do Receituário tradicional do Concelho de Cascais. Este projeto tem por objetivo o levantamento, experimentação e publicação, de receitas que se pratiquem no território de Cascais, procurando compreender os seus fundamentos e as memórias que evocam, no sentido de fixar e valorizar o património gastronómico com parte integrante da cultura local.

O projeto é coordenado pela Prof.ª Doutora Raquel Moreira por parte da ESHTE, e pela Dra. Cláudia da Silva Mataloto por parte da CMC, e também aluna da ESHTE. O resultado final deste levantamento será a publicação de um livro sobre o tema.

No âmbito desta parceria foram realizadas diversas atividades envolvendo docentes e alunos da Licenciatura em Produção Alimentar em Restauração, especialmente do 2.º Ano e do 3.º Ano, e também do Mestrado em Inovação e Artes Culinárias. Com o seu envolvimento foram experimentadas todas as receitas que irão ser publicadas, sugeridas novas ideias e criadas novas receitas.

No passado mês de abril, no Restaurante Descobertas, foram servidos almoços e jantares com algumas das receitas resultantes do Levantamento efetuado e anteriormente experimentado pelos alunos do 2.ºAno da Licenciatura em PAR, sob a coordenação dos docentes Chef Teresa Silva, Chef António Pires e Chef Gilberto Costa.

Os pratos servidos no Restaurante foram confecionados pelos alunos do 3.º Ano de Produção Alimentar em Restauração e pelos Chefs Anna Lins (Cozinha), Arménio Marques (Padaria) e Nelson Félix (Pastelaria). O serviço de sala foi assegurado pelos alunos do 2.º Ano de Direção e Gestão Hoteleira e pelos docentes Gustavo Alves e Paulo Ferreira.

Nestes eventos tivemos a honra de serem nossos convidados dirigentes e técnicos da Câmara Municipal de Cascais ligados ao projeto, e também da Editora Leya, responsável pela publicação do livro.

Este projeto tem-se revelado uma experiência do maior interesse, quer pela relação da ESHTE com o território envolvente, quer pelo estimulo que tem representado para os alunos que nele têm participado de forma empenhada.

08.06.2017